fbpx
Nutrição esportiva muito além da performance

Nutrição esportiva: muito além da performance!

Apesar da nutrição esportiva ser fundamental para a melhora do desempenho e para alcançar os resultados desejados, esse campo de atuação vai muito além disso. É a partirda conduta nutricional do nutricionista esportivo que, aliada à atividade física, é possível promover a saúde e prevenir doenças. Além disso, pela prescrição nutricional é possível acelerar a recuperação muscular e a melhora de lesões. É a integração da nutrição e do esporte proporcionando benefícios efetivos à saúde.

Saúde óssea na mulher – como a nutrição esportiva pode ajudar?
Com a chegada da menopausa, há maior risco da perda mineral óssea, levando ao desenvolvimento da osteopenia e osteoporose, que se associam com uma perda da qualidade de vida da mulher. Assim, aliar a nutrição com o exercício físico pode promover melhora do quadro ou preveni-lo.

Sañudo et al. (2017), em uma revisão sistemática de estudos controlados e randomizados,concluíramque mulheres de 35 a 70 anos, no climatério ou menopausadas, que realizavam exercícios de impacto associados à vibração ou treinamento de força, tinham melhora na densidade mineral óssea lombar e femoral.

Associada à prática esportiva, há necessidade da conduta nutricional, com ajuste de micronutrientes importantes, como vitaminas D e K, cálcio e magnésio (SHAMS-WHITE et al., 2017) e de macronutrientes, como proteínas (WEAVER, 2017), para promover o cuidado integrado. Outras estratégias no plano alimentar, como o consumo diário de ameixa seca por mulheres menopausadas, pode impactar positivamente na saúde óssea. Wallace (2017) associou alto teor de compostos fenólicos nesta fruta desidratada à redução de marcadores da reabsorção óssea, com isso, melhorando a densidade mineral dos ossos.

Imunomodulação através do esporte e da nutrição
O exercício físico, assim como a nutrição, afeta diretamente o imunometabolismo das células de defesa, atuando na função e diferenciação destas, principalmente, através da sinalização do AMPK e o mTOR. É importante levar em consideração que a duração e a intensidade do exercício físico e biodisponibilidade de nutrientes, como aminoácidos de cadeia ramificada e glutamina, são essenciais para a regulação dessa sinalização (BATATINHA et al, 2019).

Inclusive, o exercício físico pode ser uma estratégia contra aCOVID-19, segundo uma revisão conduzida por Silveira et al. (2020). Os autores reúnem evidências científicas que, durante e após o exercício físico, são liberadas citocinas pró e anti-inflamatórias, há aumento da circulação linfocitária e o recrutamento celular, e a prática regular do exercício físico, associa-se a menor incidência, intensidade de sintomas e mortalidade por infecções virais.

Ciolac, Silva e Vieira (2020) associam a esse papel imunomodulador do exercício, com base em estudos epidemiológicos, experimentais e clínicos, que a prática regular de atividade física melhora a imunomodulação e pode desempenhar um papel fundamental na prevenção e no tratamento de várias doenças crônicas relacionadas ao envelhecimento.

Sarcopenia associada ao envelhecimento – aliando nutrição e exercício!
O sistema musculoesquelético desempenha um papel indispensável na saúde metabólica e na função física. Uma diminuição na massa e função muscular, decorrente da sarcopenia relacionada ao envelhecimento, muito comum em mulheres na menopausa, exacerba a probabilidade de comprometimento da mobilidade, desenvolvimento da doença e mortalidade precoce. O treinamento resistido é um dos tratamentos mais eficazes e de baixo custo para prevenir a progressão da sarcopenia e melhorar vários aspectos da saúde geral. Alguns nutrientes específicos (por exemplo, proteínas) e algumas estratégias nutricionais em relação ao planejamento das refeições e àindicação de suplementos nutricionais (como a creatina, vitamina D e ômega-3), promovem um aprimoramento das adaptações induzidas pelo treinamento de resistência, potencializando assim o tratamento da sarcopenia, promovendo qualidade de vida através da integração de ambas (MCKENDRY et al., 2020).

O Módulo Health do NE 2020 aborda a importância da integração entre nutrição e exercício físico para promover saúde, prevenir doenças e otimizar a recuperação muscular e de lesões de atletas, por meioda mais recente literatura científica, trazida por grandes nomes da área. Atualize suas condutas no Módulo Health do NE 2020. Saiba mais sobre cada tema que será discutido.

 

REFERÊNCIAS

MALM, C.; JAKOBSSON, J.; ISAKSSON, A. PhysicalActivityand Sports—Real Health Benefits: A

Review with Insight intothePublic Health ofSweden, Sports, v. 7, n. 5, p. 127, 2019. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6572041/>

SAÑUDO, B. et al. A systematic review oftheexerciseeffectonbonehealth: theimportanceofassessingmechanicalloading in perimenopausalandpostmenopausalwomen. Menopause, v. 24, n. 10, p. 1208-1216, 2017.Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28538603/>

WEAVER, C.M. NutritionandBone Health. Oral Diseases, v. 23, n. 4, p. 412-415, 2017. Disponível em: <https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/odi.12515>

SHAMS-WHITE, M. M. et al. Dietaryproteinandbonehealth: a systematic review and meta-analysisfromtheNationalOsteoporosis Foundation. American JournalofClinicalNutrition, v. 105, n. 6, p. 1528-1543, 2017. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28404575/>

WALLACE, T.C. DriedPlums, PrunesandBone Health: A Comprehensive Review. Nutrients, v. 9, n. 4, p. 401, 2017. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5409740/>

SILVEIRA, M. P. et al. Physicalexercise as a tool to help theimmune system against COVID-19: anintegrative review ofthecurrentliterature. ClinicalandExoerimental Medicine, p.1-14, 2020. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7387807/>

BATATINHA, H. A. Nutrients, immune system, andexercise: Wherewill it take us?.Nutrition, v. 61, p. 151-156, 2019. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30711864/>

CIOLAC, E. G.; SILVA, J. M. R; VIEIRA, R.P. PhysicalExercise as anImmunomodulatorofChronicDiseases in Aging. JournalofPhysicalActivityand Health, p. 1-11, 2020. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32396868/>

BROOK, M. S. et al. Skeletalmusclehomeostasisandplasticity in youthandageing: impactofnutritionandexercise. Acta Physiologica, v. 216, n. 1, 2016. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4843955/>

MCKENDRY, J. et al. NutritionalSupplementstoSupportResistanceExercise in Counteringthe Sarcopenia ofAging. Nutrients, v. 12, n. 7, 2020. Disponível em: <https://www.mdpi.com/2072-6643/12/7/2057>

 

Leave a Reply