fbpx
Nutrição no esporte: aliados no bem-estar e longevidade

Nutrição e esporte – Aliados do bem-estar e da longevidade!

A saúde, segundo definição da Organização Mundial da Saúde, não é somente a ausência de doença, mas sim o completo bem-estar físico, mental e social. Assim, dentro desse conceito, a nutrição e o exercício físico devem estarintegrados, provendo um estilo de vida mais saudável ao paciente e contribuindo assim para a longevidade com mais qualidade.

O segredo está nas mitocôndrias?
A atividade dessas organelas vai muito além da performance, sendo também um ponto-chave para o adequado funcionamento do organismo, visto que a disfunção mitocondrialestá associada ao desencadeamento do envelhecimento precoce, doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.

Sabe-se que as mitocôndrias influenciam o exercício físico, mas que este também exerce efeito nestas, como, por exemplo, promovendo a biogênese mitocondrial. Além disso, a nutrição tem um importante papel na saúde mitocondrial, desde a ativação até a biogênese, pela ação dos polifenóis, como a quercetina e o resveratrol.

Intestino, mitocôndrias e estilo de vida
Clark e Nack (2017) ainda apontam a relação entre a microbiota intestinal e as mitocôndrias durante o exercício físico intenso. A microbiota intestinal regula genes como PGC-1α, SIRT1 e AMPK relacionados com à biogênese mitocondrial, além dos metabólitos oriundos dessa comunidade modularem a formação de EROs e inflamação no intestino.Já as mitocôndriastêm papel crucial na modulação da função da barreira intestinal e na manutenção da mucosa intestinal. Mas, é importante ressaltar o papel da nutrição nesta relação, como o fornecimento adequado de prebióticos para a formação de ácidos graxos de cadeia curta.

Manejo do estresse através do estilo de vida
O estresse é considerado uma epidemia que atinge cerca de 30% dos brasileiros diariamente, sendo que esta condição pode comprometer a homeostase do organismo, como um todo, devido a diversas alterações fisiológicas que impactam o funcionamento adequado de diversos sistemas. O estresse pode desencadear redução do número de neurônios, alteração da microbiota intestinal, piora da memória e da cognição e imunossupressão (YARIBEYGI et al., 2017).

A dieta e o exercício físico são importantes moduladores cognitivos, auxiliando a reduzir os impactos ocasionados pelo estresse. Stubbs et al. (2017) conduziram uma revisão em que reuniram diversos estudos que demonstravam os efeitos do exercício físico na redução significativa de sintomas de ansiedade em pessoas diagnosticadas com desordens associadas ao estresse e/ou ansiedade.

A redução dos níveis do fator neurotrófico derivado do encéfalo (BDNF),que está associado com a neurogênese, sobrevivência dos neurônios e plasticidade cerebral, pode ocorrer devido ao estresse ou ser um dos responsáveis pelo desencadeamento desta condição e outras desordens emocionais e cognitivas. A associação da nutrição com o exercício físico auxilia no aumento do BDNF, além de aumentar os endocanabinoides e a diversidade da microbiota intestinal, o que promove a saúde mental.

O Módulo Wellness do NE2020 traz temas voltados ao estilo de vida saudável do paciente na busca do bem-estar, da longevidade e da estética corporal.Descubra estratégias mais eficientes da nutrição esportiva para incluir na rotina dos praticantes de exercícios físicos, com palestras realizadas por palestrantes renomados na área.

Atualize-se no Módulo Wellness do #NE2020.

 

REFERÊNCIAS

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Disponível em: https://www.paho.org/bra/. Acesso em 29 jul. 2020.

 HUERTAS, J. R. et al. Stay Fit, Stay Young: Mitochondria in Movement: The Role ofExercise in the New MitochondrialParadigm. Oxidative Medicine andCellularLongevity, v. 2019, 2019. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6607712/>.

CLARK, A.; MACH, N. The CrosstalkbetweentheGut Microbiota andMitochondriaduringExercise. Frontiers in Physiology, v. 8, p. 319. 2017. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28579962/>.

YARIBEYGI, H. et al. The Impact Of Stress On Body Function: A Review. EXCLI Journal, v. 16, p. 1057-1072, 2017.Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5579396/>

STUBBS, B. et al. An examination of the anxiolytic effects of exercise for people with anxiety and stress-related disorders: A meta-analysis. Psychiatry Research, v. 249, p. 102-108, 2017.Disponívelem: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28088704/>

HUESTON, C. M.; CRYAN, J.F.; NOLAN, Y. M. Stress and adolescent hippocampal neurogenesis: diet and exercise as cognitive modulators. Translational Psychiatry, v. 7, n. 4, p. e1081, 2017.Disponívelem: <https://www.nature.com/articles/tp201748>

SOUZA, M.L.R. de; BAPTISTELLA, A.B.; PASCHOAL, V. Nutrição Funcional: Nutrientes aplicados à Prática Clínica. São Paulo: Valéria Paschoal, 2018.

Leave a Reply